Pesquise o assunto

15 abril 2013

Doenças Periodontais (gengiva) podem trazer consequências na gravidez.


As mulheres grávidas que têm doença periodontal podem ter sete vezes mais chances de ter um bebê que nasce prematuro e pequeno.
Bactérias dentárias são encontradas no líquido amniótico de mulheres gravidas com  problemas periodontais e estas bactérias podem ter a capacidade de causar infecção no feto e antecipar o parto.

Durante a gravidez, as variações hormonais provocam  inúmeras mudanças. As alterações relacionadas à saúde bucal pegam muitas mulheres de surpresa.  Elas podem dar o sinal de alerta quando você já estiver grávida. Há um aumento maior da sensibilidade dental e da quantidade de cáries, bem como as gengivas ficam mais sensíveis e desprotegidas , E estando grávida haverá um cuidado maior na administração de qualquer medicação no tratamento.
Na gravidez, o aumento no nível da progesterona causa uma vascularização dos tecidos envolvidos na fixação dos dentes ao osso, deixando a gengiva da gestante com tendência maior ao sangramento. Essa alteração é chamada de gengivite gestacional ou gravídica e é um processo causado pela placa bacteriana. Esse tipo de gengivite é reversível e inicia-se por volta do segundo mês de gestação, aumentando até atingir o seu ápice em torno do oitavo mês e regredindo depois.
A infecção bucal agravada e não tratada pode colocar em risco a saúde geral da mãe e do bebê, pois as bactérias responsáveis pela infecção periodontal são disseminadas na corrente sanguínea do organismo.
A gengivite gravídica está associada apenas às alterações hormonais ou a alimentos que podem aumentar o problema?
Além das alterações hormonais, ou seja, o alto nível de progesterona na circulação, também estão diretamente relacionados fatores como deficiências nutricionais, presença de placa bacteriana, assim como baixa imunidade.  A higiene bucal da gestante também deve ser levada em consideração, pois uma boa higiene ajuda na prevenção dessas alterações inflamatórias.
A gengivite costuma incomodar bastante. Há tratamento neste período?
Em geral esse processo não causa dor, sendo esse tipo de gengivite na maioria dos casos reversível, tendo início no segundo mês de gestação e atingindo seu pico no oitavo mês, regredindo logo depois.  Gestantes que apresentam um bom controle da placa bacteriana não são acometidas por esse tipo de doença quando grávidas. O tratamento consiste na instrução para uma escovação adequada e o uso do fio dental regularmente, mas a única limpeza 100% eficaz é a profilaxia feita pelo dentista. A consulta de pré-natal odontológico deve ser mensal, podendo ser até trimestral em alguns casos.
A higiene bucal é ainda mais essencial nesse período e pode ajudar na prevenção ou redução dessas alterações inflamatórias. É importante saber que uma gengivite pode evoluir para periodontite se houver um conjunto fatores correlacionados como o estresse, fumo, mudanças psicológicas e outros.

FABÍOLA PECE comenta: Porisso, sempre digo, a prevenção é a melhor conduta a se tomar. Uma pessoa com seus controles feitos regularmente evitará esses tipos de problemas, diminuindo a chance de problemas durante a gravidez.  

Conheça meu canal do YouTube: http://www.youtube.com/user/fabiolapece/videos

Nenhum comentário:

Postagens Anteriores

Receba as postagens no seu e-mail

Ocorreu um erro neste gadget

Qual assunto você gostaria de ler ?

Nome:
E-mail:
Assunto:
Mensagem: