30 outubro 2012

Miomas e sua interferência na fertilidade


Mioma é um problema mais comum do que se imagina. Cerca 50% das mulheres do mundo em idade reprodutiva (principalmente entre 30 e 48 anos de idade) são portadoras de um ou mais miomas uterinos.
O mioma é um tumor sólido benigno que aparece no útero ,porém nem sempre exige um tratamento, dependendo da sua localização e do seu tamanho, e pode comprometer a fertilidade da mulher, impedindo a gravidez ou causando abortamento ou parto prematuro (o que é mais comum acontecer) .  A maioria dos miomas não interferem em uma gravidez, mas é comum encontrá-los em pacientes que estão tentando engravidar ou naquelas que apresentem histórico de abortamentos de repetição.
Há três tipos de miomas:
os “submucosos” - ocupam a cavidade interna do útero
os “intramurais” - ficam na parede do útero podendo até distorcê-la.
os “subserosos”  - ficam do lado externo do útero.
A incidência maior ocorre em mulheres que têm casos de miomas na família, mulheres negras e as que nunca tiveram filhos. As que usam anticoncepcional por períodos grandes ou que já engravidaram têm menos possibilidade de desenvolver o tumor. O maior problema é que muitos miomas são assintomáticos e muitas mulheres, às vezes, ficam sabendo que têm um ou mais miomas uterinos ao realizarem um simples exame ginecológico de rotina.  Quando a mulher apresenta um sangramento menstrual intenso e prolongado,  às vezes, até com coágulos (que pode até provocar anemia), cólicas abdominais, distensão abdominal com sensação de peso e dor durante as relações sexuais, é possível que ela seja portadora de um ou múltiplos miomas. A vontade frequente de urinar  e a constipação intestinal, causadas pela compressão do tumor sobre a bexiga e sobre o reto, também são sintomas de mioma.
Somente 30% dos casos de mioma necessitam de tratamento, e portanto é  considerado um dos principais fatores que causam as cirurgias de retirada do útero todo (histerectomias). Geralmente, são miomas aumentados com diâmetro com mais de 4 ou 5 cm. O tratamento depende muito dos sintomas apresentados, do seu tamanho, da localização, da idade da paciente e se ela ainda pretende ter filhos. Tanto pode ser medicamentoso ( hormônios e anti-inflamatórios) como também cirúrgico para a retirada apenas do mioma (miomectomia) ou do útero todo.
Os miomas podem interferir na fertilidade, dificultando a fixação do embrião nas paredes do útero .
_______________________________________
FABÍOLA PECE comenta: Mais uma vez volto a frisar: Mantenha seus exames ginecológicos em dia. Sem querer pode diagnosticar um mioma e tratá-lo com maior rapidez.

Nenhum comentário:

Pesquise o assunto

Postagens Anteriores

Receba as postagens no seu e-mail

Ocorreu um erro neste gadget

Qual assunto você gostaria de ler ?

Nome:
E-mail:
Assunto:
Mensagem: