Pesquise o assunto

10 outubro 2012

Biópsia embrionária


 Com o adiamento do casamento e da maternidade aumenta o grau de dificuldade para engravidar de modo natural, assim como o risco de ter um bebê com algum tipo de malformação ou doença genética. É aí  que a biópsia embrionária surge como um ‘apoio' da ciência em direção aos casais mais maduros.

A biópsia embrionária pode ser realizada a partir do terceiro dia de desenvolvimento do embrião, quando apresenta entre seis e oito células. Trata-se de um grande avanço em relação a amniocentese – que analisa o líquido que envolve o feto quando a gestação já está entre 15 e 20 semanas. O principal objetivo desse exame é dar aos pais a certeza que o bebê estará livre de doenças e defeitos congênitos. Com a biópsia embrionária, é possível avaliar os embriões antes de serem transferidos para o útero materno durante o processo de fertilização in vitro. Antes disso, os pacientes devem passar por uma consulta a um geneticista, realizando um histórico familiar detalhado e a análise cromossômica dos cônjuges. As tecnologias empregadas têm diferentes objetivos e métodos, podendo testar o embrião para mais de 600 doenças gênicas ou abortamentos de repetição.
Defeitos congênitos
É possível classificá-los como maiores e limitantes ou menores, embora importantes. "Na primeira classe estão defeitos drásticos, como anencefalia e comunicação interventricular cardíaca, por exemplo. Já entre os mais brandos estão as manchas na pele (café-com-leite, vinho-do-porto) e a sindactilia cutânea – quando não há separação entre dois  ou mais dedos. "A presença de três ou mais defeitos congênitos leves aumenta as chances de haver algum defeito maior a ser investigado. Entre os recém-nascidos, estima-se que entre 2% e 3% apresentem algum defeito congênito maior e reconhecível. Por outro lado, alguns estudos demonstram que 90% dos embriões ou fetos com anormalidades cromossômicas são espontaneamente abortados".
FABÍOLA PECE comenta: Graças ao avanço tecnológico pode-se afastar possíveis anomalias.
Porém esse tipo de especialidade ainda é bem cara.

Nenhum comentário:

Postagens Anteriores

Receba as postagens no seu e-mail

Ocorreu um erro neste gadget

Qual assunto você gostaria de ler ?

Nome:
E-mail:
Assunto:
Mensagem: