23 maio 2012

Endometriose- Saiba mais



O que é? - Endometriose é uma doença caracterizada pela presença de tecido endometrial (que reveste o útero internamente) fora da cavidade uterina.
Como se desenvolve? - A causa exata é desconhecida. Uma teoria sugere que durante a menstruação as células do endométrio passariam através das trompas de Falópio para a cavidade peritoneal abdominal, onde se implantariam.
Os locais mais comuns de implantação são os ovários, trompas de Falópio, superfície externa do útero e septo reto-vaginal (área entre a vagina e o reto). Outras teorias sugerem alterações do sistema imunológico e mesmo uma herança genética. A cada menstruação este tecido endometriótico sangra causando dor pélvica, dor durante a relação sexual, queixas urinárias, intestinais e infertilidade.
O que a mulher  sente?
- Os sintomas mais comuns incluem:
- dismenorréia severa (dor pélvica cíclica que ocorre antes e durante a menstruação);
- dispareunia (dor durante ou logo após o ato sexual);
- dor pélvica crônica;
- infertilidade;
- sintomas urinários com micções dolorosas;
- dor na região lombar baixa (costas);
- desconforto abdominal.
Como se faz o diagnóstico? - O diagnóstico geralmente inclui uma laparoscopia, anunciado como um procedimento cirúrgico ambulatorial onde uma câmara é inserida na cavidade abdominal através do umbigo, permitindo identificar as lesões e determinar a extensão da doença. A retirada de um pequeno fragmento de tecido suspeito (biópsia) para a realização de um exame anatomopatológico dará o diagnóstico de certeza.
Como se trata? - O tratamento vai depender da idade da paciente, da extensão da doença, da severidade dos sintomas, da duração da infertilidade e dos planos reprodutivos do casal (importante  uma abordagem sincera entre a paciente e o médico ). Especial atenção deve ser dada à paciente que pretende engravidar. Talvez seja necessário seu encaminhamento para um Centro de Reprodução Humana mesmo antes do tratamento da endometriose ser iniciado
 Os tratamentos incluem desde a observação em pacientes assintomáticos e não desejosas de gestação, uso de analgésicos para a dor moderada, a interrupção dos ciclos menstruais por 6 a 12 meses, progesterona de uso diário, medicamentos que inibem o funcionamento dos ovários e os tratamentos cirúrgicos, destruindo o tecido endometrial, removendo todas as lesões e restaurando a anatomia pélvica tanto quanto possível.
Outra principal atenção é a endometriose profunda. Sabe-se que cirurgias muito bem planejadas reduzem significativamente a dor nesses casos, mas essas cirurgias só são feitas em centros especializados.
Atualmente não há cura para a endometriose. No entanto, a dor e os sintomas dessa doença podem ser diminuídos e controlados.
As principais metas do tratamento são:
·         Diminuir o tamanho dos implantes.
·         Reverter ou Aliviar ou reduzir a dor (e outros sintomas).
·         limitar a progressão da doença.
·         Preservar ou restaurar a fertilidade.
·         Evitar ou adiar a recorrência da doença.
O tratamento cirúrgico pode ser feito com laparotomia ou laparoscopia. Os implantes de endometriose são destruídos por coagulação à laser, vaporização de alta frequência ou bisturi elétrico. A decisão cirúrgica é importante. A maior parte dos sucessos terapêuticos decorrem de uma primeira cirurgia bem planejada. Cirurgias repetidas são desaconselhadas, pois aumenta a chance de aderências peritoneais, tão prejudiciais como a própria doença.
O tratamento clínico de formas brandas em mulheres que não pretendem engravidar pode ser feito com anticoncepcionais oraisinjetáveis, implantes subdérmicos ou intrauterinos. Há um certo consenso entre os estudiosos que o pior a fazer é não fazer nada, já que a doença pode ser evolutiva. 
Em mulheres que pretendem engravidar, o tratamento pode ser feito com cirurgia e tratamento hormonal, ou tratamento hormonal e depois cirurgia. No entanto, estudos atuais mostram que em mulheres com endometriose e que não conseguem engravidar, a melhor alternativa é a fertilização in vitro, e que a presença de endometriose não afeta as taxas de gravidez quando esse método é escolhido.
Varias drogas têm sido usadas, mas poucas com resultados definitivos.

Trabalhos da Unicamp mostram uma melhora dos sintomas com o dispositivo intrauterino liberador de levonorgestrel.
O mais importante no tratamento da endometriose é o planejamento das ações terapêuticas em comum acordo com o planejamento da gravidez pelo casal.
Em casos muito severos, a gravidez só será possível por meio de técnicas de fertilização assistida e inseminação artificial.

Perspectivas - A ressecção das lesões por laparoscopia aumenta as chances de gestação em mulheres inférteis. Os sintomas e o desejo de engravidar vão determinar a terapia mais adequada.
Como se previne? - Não existe prevenção da endometriose que afeta as mulheres em seus anos reprodutivos, mas aquelas que usam anticoncepcionais orais para o controle da gestação tem uma menor incidência da doença.

Nenhum comentário:

Pesquise o assunto

Postagens Anteriores

Receba as postagens no seu e-mail

Ocorreu um erro neste gadget

Qual assunto você gostaria de ler ?

Nome:
E-mail:
Assunto:
Mensagem: