21 fevereiro 2011

Exames Básicos

Para muitos casais, o primeiro passo consiste na marcação de uma consulta para o seu médico de família ou ginecologista. Em alguns casos, este médico limita-se a dar informações e conselhos. Noutros casos, poderá recomendar a realização de alguns exames. Em princípio, tudo dependerá da atitude e dos desejos do paciente. Felizmente, os exames de infertilidade iniciais são relativamente simples. Em alguns casos, o médico poderá estar em condições de fazer um diagnóstico provisório logo na primeira consulta. Porém, se o médico não conseguir determinar a causa da infertilidade com base na primeira série de exames, será necessário realizar exames mais exaustivos antes de fazer um diagnóstico. Estes exames complementares são diferentes para as mulheres e para os homens e, muitas vezes, implicam consultas mais pormenorizadas.
Embora os primeiros exames possam variar ligeiramente de pessoa para pessoa, abrangem quase sempre as três componentes seguintes:
  • determinar se ocorreu ovulação;
  • análise do sémen;
  • análise da anatomia do aparelho reprodutor – há condições para o óvulo encontrar o espermatozóide e ser fertilizado?
Se o paciente souber o que pode esperar da primeira consulta, esta experiência será um pouco mais fácil. Em termos gerais, os exames de infertilidade são idênticos em todo o lado; no entanto, os métodos poderão variar em função da clínica e do médico. Esta secção contém uma descrição geral sobre os exames habituais que o casal terá de realizar durante o tratamento da infertilidade.
Exames de infertilidade básicos
Na primeira consulta, o médico de família ou o especialista em infertilidade explicará em que consiste o procedimento a seguir numa fase inicial. O casal terá de responder a muitas perguntas (historial clínico). Em regra, será marcada uma nova consulta para realizar os primeiros exames, embora, por vezes, seja possível realizar logo alguns deles durante a primeira consulta. O médico de família poderá também encaminhar o casal para um ginecologista ou para uma clínica de infertilidade para realização dos exames.
O primeiro exame de infertilidade básico é o exame orientador à fertilidade. Embora os exames possam variar de clínica para clínica e de especialista para especialista, abrangem geralmente os seguintes elementos:
  • perguntas destinadas à mulher
  • perguntas destinadas ao homem
  • exame físico
  • análise ao sangue
  • avaliação do ciclo
  • análise de rotina ao sémen (espermograma)
  • teste pós-coital (TPC)
Para além destes exames básicos, poderá ser discutida a possibilidade de realizar exames complementares ao homem e à mulher.
Exames complementares para as mulheres
Se não for possível identificar a causa da infertilidade através dos exames relativamente simples anteriormente descritos, o médico poderá recomendar a realização de exames mais específicos. Esta perspectiva poderá ser um pouco desanimadora, mas a sucessiva exclusão de potenciais anomalias através destes exames permite estar mais próximo de se estabelecer um diagnóstico.
No que respeita às mulheres, estes exames complementares envolvem geralmente um exame mais completo do aparelho reprodutor, nomeadamente do útero, das trompas de Falópio e dos ovários. A maior parte dos médicos explica às suas pacientes em que consistem estes procedimentos. No entanto, é sempre útil recolher o máximo de informação possível para estar melhor preparada. As informações apresentadas nesta secção respeitam aos seguintes exames complementares:
  1. Ecografia transvaginal
  2. Histerossonografia
  3. Histerossalpingografia
  4. Histeroscopia
  5. Laparoscopia
  6. Biopsia endometrial
  7. Teste das imunoesferas (immunobead test)
Exames complementares para os homens
Geralmente, um dos primeiros exames a que os homens são submetidos consiste num espermograma. Se os resultados indicarem uma contagem de espermatozóides baixa ou outros problemas, o exame será repetido – um mau resultado num só espermograma não é suficiente para diagnosticar uma anomalia do esperma. Se a anomalia persistir, poderão ser realizados exames complementares, tais como um exame da função espermática ou uma biopsia aos testículos.
A perspectiva de ter que efectuar mais exames poderá ser um pouco desanimadora, mas a sucessiva exclusão de potenciais anomalias através destes exames faz com que o diagnóstico esteja cada vez mais próximo.
Esta secção descreve em pormenor os exames específicos dos homens. A maior parte dos médicos explica aos seus pacientes em que consistem estes procedimentos. Porém, é sempre útil recolher o máximo de informação possível para estar mais bem preparado para discutir a situação com o seu médico.

Nenhum comentário:

Pesquise o assunto

Postagens Anteriores

Receba as postagens no seu e-mail

Ocorreu um erro neste gadget

Qual assunto você gostaria de ler ?

Nome:
E-mail:
Assunto:
Mensagem: