17 maio 2013

Falência Ovariana ou Menopausa Precoce


Falência Ovariana Prematura ou Menopausa Precoce, é caracterizado quando a menopausa ocorre antes dos 40 anos de idade, mas ela pode aparecer em idades variadas.
Se ela acontecer antes da puberdade, a mulher apresentará falha no seu desenvolvimento sexual e as menstruações não terão início. Se for após a puberdade, a mulher apresentará amenorréia (ausência de menstruações) e infertilidade.

Causas :

Na maioria dos casos não dá para identificar precisamente a causa, porém, algumas das causas podem ser:
 Congênitas: falha no desenvolvimento dos ovários em se desenvolver ou ausentes ao nascer.
 Anormalidades cromossômicas: quando os ovários contêm apenas poucos folículos. (ex: síndrome de Turner)
 Genéticas: algumas mulheres perdem seus óvulos antes da meia idade, devido a um aumento na taxa de desaparecimento dos folículos. A incidência da falência ovariana precoce (FOPF) varia de 4% a 30%.
 Anticorpos antiovário: agem contra os ovários.
 Dano físico ovariano por infecções: em casos de caxumba ou por tratamento de câncer com radioterapia ou quimioterapia.

Há também a menopausa precoce cirúrgica, que acontece quando há a retirada dos ovários, geralmente, realizada em mulheres com diagnóstico de câncer

Diagnóstico:

Sintomas mais comuns da Menopausa Precoce:
- Ondas de calor;
- Suor noturno;
- Irregularidade menstrual;
- Ressecamento vaginal;
- Diminuição da libido;
- Incontinência urinária;
- Alterações da pele e cabelo;
- Insônia e cansaço.
A determinação da causa da menopausa prematura é importante para as mulheres que desejam engravidar. O exame físico é útil, seguidos por exames complementares, como o de dosagem hormonal e ultrassom ovariano para complementação do diagnóstico preciso. 

Chances de gravidez:

A mulher com menopausa precoce apresenta uma chance inferior a 10% de ser capaz de engravidar. Suas chances aumentam em até 50% quando é realizada a implantação de óvulos de uma outra mulher no seu útero – a ovodoação – somente usada nas técnicas de Fertilização In Vitro (FIV).
A doadora deverá passar por um processo de indução da ovulação. Paralelamente, a receptora recebe hormônios que preparam o endométrio para receber os embriões. Enquanto os óvulos se desenvolvem na doadora, o endométrio da receptora fica mais espesso a cada dia. Quando os óvulos da doadora forem aspirados, parte deles serão encaminhados para a receptora, sendo fertilizados com o sêmen do próprio marido. A seguir os embriões são transferidos para cada uma das pacientes.
 ________________________________________________________
FABÍOLA PECE comenta:  É uma porcentagem baixa, mas existem casos de falência prematura. Porisso, vejo a necessidade de, mulheres mais velhas, ao começarem um tratamento de FIV/ICSI fazerem este exame logo de início, pois assim, caso seja diagnosticado a falência precoce, a mulher já recorre a ovodoação e nem perde tempo e dinheiro, fora o desgaste emocional.

Nenhum comentário:

Pesquise o assunto

Postagens Anteriores

Receba as postagens no seu e-mail

Ocorreu um erro neste gadget

Qual assunto você gostaria de ler ?

Nome:
E-mail:
Assunto:
Mensagem: