Pesquise o assunto

17 dezembro 2012

Algumas medicações usadas em tratamentos de fertilização


Alguns medicamentos podem ser prescritos para mulheres para aumentar a fertilidade e controlar os níveis hormonais. As drogas podem ser em forma de cápsulas, injeções ou recebidas em um consultório médico. Porém, elas  somente podem ser prescritas  por médicos especialistas em fertilidade. Uma variedade de drogas estão no mercado, e cada um vem com seus próprios efeitos distintos.

 Alguns exemplos:

Aspirina
Aspirina em  baixa dose é muitas vezes prescrita para as mulheres durante ciclos de fertilização in vitro e sugerida para mulheres que tiveram vários abortos espontâneos iniciais. Aspirina afina o sangue e impede a formação de coágulos no útero que prejudicaria uma implantação. Os riscos mais comuns de utilização são efeitos colaterais gastrointestinais como azia no estômago.
Clomiphene
Clomiphene, comercializado como marcas Clomid e Serophene, é um comprimido tomado por mulheres para reforçar a ovulação. Riscos do consumo incluem efeitos colaterais temporários e mais longo prazo. O usuário de clomiphene tem uma chance de 8 por cento de ter um nascimento múltiplo.
FSH
Folículo estimulante hormônio (FSH) é liberado naturalmente no corpo após a menstruação para preparar os ovulos para a ovulação. Pode ser usado nos ciclos de tratamento de infertilidade para fazer com que os ovulos amadureçam. Efeitos colaterais podem incluir ovários superestimulados e alterações de humor. Riscos de longo prazo incluem maior probabilidade de terem nascimento múltiplo.
HCG
Gonadotrofina coriônica humana (hCG) é um hormônio que existe naturalmente no corpo humano. É administrado para desencadear a ovulação. Não há nenhum efeito colateral conhecido.
Heparina
Como a aspirina, heparina é um fármaco que age como um sangue mais fino. Ele é administrado por injeção. A heparina impede a coagulação e diminui o risco de aborto espontâneo. Ele é dado a mulheres que tiveram abortos espontâneos no passado ou que têm problemas  que complicariam a gravidez. Riscos de utilização incluem perda óssea, hemorragias nasais, menstruação excessivamente pesada e perda de cabelo.
Leuprolide
Leuprolide, comercializado como Lupron, é uma droga injetável versátil, usada para tratar uma variedade de problemas de saúde na reprodutiva feminina. Para tratamento de infertilidade, é dado durante ciclos de fertilização in vitro para impedir que a ovulação ocorra prematuramente, reduzindo a quantidade de estrogênio no corpo. Ela coloca o corpo em um estado de menopausa. Os riscos incluem efeitos colaterais a curto prazo, como acne e dor do corpo. Complicações a longo prazo podem incluir defeitos de nascimento, se tomado durante a gravidez.

Apesar de as medicações indicadas para as técnicas de reprodução assistida serem semelhantes, a forma de uso e a quantidade de cada uma delas variam de acordo com o método de fertilização que será escolhido. 

O uso de hormônios para a estimulação ovariana, por exemplo, é um procedimento sempre adotado, mas a dose é menor quando o especialista optou por uma técnica médica de baixa complexidade e sobe nas intervenções de alta complexidade. 

FABÍOLA PECE comenta: Deixando bem claro que esta postagem é apenas para simples conhecimento, porém somente seu médico está capacitado para avaliar e prescrever qual conduta certa individualmente.

Nenhum comentário:

Postagens Anteriores

Receba as postagens no seu e-mail

Ocorreu um erro neste gadget

Qual assunto você gostaria de ler ?

Nome:
E-mail:
Assunto:
Mensagem: