25 outubro 2012

Saiba mais sobre Histeroscopia


SAIBA AQUI ALGUNS DETALHES SOBRE HISTEROSCOPIA, EXAME FEITO,  ENTRE OUTRAS RAZÕES, PARA INVESTIGAÇÃO DE INFERTILIDADE:

O que é?
Procedimento invasivo feito em posição ginecológica, no qual insere-se um instrumental ótico dentro da cavidade uterina para visualização de seu interior ( possível diagnóstico e tratamento de alguma anormalidade encontrada).

Como é feito?

Em posição ginecológica, é feita a colocação do espéculo e um instrumental de ótica fina ( de 2,9 mm ou de 4 mm) é inserido pelo colo do útero até atingir o endométrio. Utiliza-se um meio de distensão da cavidade, que pode ser soro fisiológico ou gás carbônico para obter-se uma boa visualização da cavidade. Podem ser feitos procedimentos ambulatoriais (como biópsias, retirada e recolocação de DIU) ou procedimentos cirúrgicos (como retirada de miomas e pólipos).

Quais são tipos de histeroscopia?

Diagnóstica: investigação de alterações previamente relatadas na ultrassonografia (espessamentos do endométrio, suspeitas de pólipos ou miomas, sangramentos uterinos anormais, investigação de infertilidade e abortos recorrentes ou perdas gestacionais mais tardias, avaliação de DIUs deslocados, investigação de distúrbios menstruais, suspeita de câncer de endométrio ou lesões pré-câncer (hiperplasias).
Cirúrgica: ressecção de lesões intrauterinas focais: pólipos endometriais, miomas intrauterinos; ressecção de todo o endométrio (ablação endometrial); ressecção de septos intrauterinos; correções de sinéquias uterinas ( liberação de aderências dentro da cavidade)

Quais são as diferenças entre histeroscopia diagnóstica e cirúrgica?

A  histeroscopia diagnóstica requer instrumental mais simples e pode ser realizada sem qualquer anestesia, a nível ambulatorial. A histeroscopia cirúrgica requer o uso de instrumental mais complexo, necessita de dilatação do colo do útero para a passagem deste instrumental e o meio de distensão da cavidade. O procedimetno pode ser realizado sob sedação ou anestesia (raqui).

Quais são os cuidados pós-procedimento?

Nenhuma restrição , somente evitar relações sexuais por 24 horas.
Na cirúrgica, evitar relações sexuais por 10 dias e atividade física intensa de 3 a 5 dias. Comum haver sangramentos e cólicas no pós-operatório, e geralmente o médico passará anti-inflamatórios na sequência. 

Quais são os principais riscos deste procedimento?

A histeroscopia diagnóstica é de baixíssimo risco de complicações mais sérias, podendo haver durante o procedimento alguma perfuração uterina (isto se o profissional não for habilitado). Algumas pacientes sentem muita dor durante o procedimento e solicitam a realização de anestesia (sedação).
A histeroscopia cirúrgica é também um procedimento de baixo risco; podem ocorrer os mesmos problemas da histeroscopia diagnóstica além de riscos de perfuração a órgãos internos, danos causados no colo uterino e sequelas da dilatação do colo, risco de complicações decorrentes da absorção do meio de distensão líquido.

FABÍOLA PECE comenta: Dos exames que eu fiz, eu, particularmente achei que este é o mais chato, pois no final da histeroscopia diagnóstica é normal a coleta de material para  ser feito a biópsia. E isto  causa uma cólica chata na hora de fazer. Mas nada insuportável. Já na cirúrgica não sentimos nada , pois é administrada a anestesia e tudo é feito sem nenhum problema.
Faça sempre com seu médico de confiança. 

Um comentário:

helenaleksander disse...

Oi fabiola, realizei esse exame ontem, e para minha surpresa, ele deu aquele incomodo chato mas nada que me surpreendesse, a Dr° até me perguntou se estava sentindo dor ou cólica e eu não estava sentindo nada.. graças a Deus agora é só esperar o resultado para ver como está as minhas trompas.

Pesquise o assunto

Postagens Anteriores

Receba as postagens no seu e-mail

Ocorreu um erro neste gadget

Qual assunto você gostaria de ler ?

Nome:
E-mail:
Assunto:
Mensagem: