03 agosto 2012

Diferença entre Esterilidade e Infertilidade


Ter dificuldades em gerar um filho, não quer dizer que você não poderá gerá-lo nunca.
Muitas vezes , as pessoas confundem estas duas palavras parecem dizer a mesma coisa, mas não é verdade.

Infertilidade é a redução da capacidade de conceber.
Esterilidade significa quando não há mais nenhuma chance de gravidez .
Os casais considerados estéreis são aqueles que não têm nenhuma fertilidade, ou seja, fertilidade zero, nenhuma chance de engravidar. A esterilidade é uma capacidade temporária ou definitiva de um casal em conceber
Quando um casal não têm filhos e enfrenta algumas  dificuldades em tê-los, são considerados inférteis. Existem dois tipos de infertilidade:
- Primária - quando o indivíduo ou o casal teve gravidez anterior;
- Secundária  - quando o indivíduo ou o casal já tiveram gravidez anterior e não conseguem repeti-las.
Hoje os casais podem recorrer a inúmeras técnicas de Reprodução Humana, que são usadas pelos médicos para aumentar as chances de terem filhos.
Com o estudo constante e aperfeiçoamente dessa especialidade nos dias de hoje, muitos casais inférteis conseguiram realizar o sonho de constituir sua família.
É muito importante lembrar que a infertilidade tem que ser encarada como um problema do casal e que é comum existirem problemas no homem e na mulher ou ambos, que somados resultam na incapacidade de conseguir a gravidez e parto.
Embora este problema seja do casal, o homem e a mulher, normalmente tomam posturas diferentes diante a infertilidade, independente da causa.
Viver a espera desta realização é viver em meios a um misto de sentimentos como: culpa, ansiedade, desesperança, depressão e otimismo. Ou seja, é uma mistura atribuída a grande carga de hormônios administrados neste tratamento. Durante o período de tentativa de uma gravidez, a menstruação é o termômetro para a mulher, isso pode fazer com que todo início do ciclo menstrual seja um turbilhão de emoções traumáticas.Aquela hora em que a mulher se choca com  respostas negativas a todo otimismo que até então ela depositou no tratamento. Já os homens,  não estão acostumados a dividir este tipo de problema com ninguém.
Por isso é muito importante o casal ter  um acompanhamento psicológico, para trazer apoio e a possibilidade de se ter alguém com quem fazer reflexões e trocar ideias e ao mesmo tempo aliviar a cabeça das pressões negativas geradas pelos tratamentos.
FABÍOLA PECE comenta: Realmente,a terapia faz bastante diferença, pois em meio a esses tratamentos artificiais é preciso ter com quem desabafar e ninguém melhor do que um terapeuta ou psicólogo. Ele não acaba com sentimento de frustração, porém alivia bastante. Eu senti isso na pele, posso falar com vivência. Recorra a terapia para se sentir melhor.

Nenhum comentário:

Pesquise o assunto

Postagens Anteriores

Receba as postagens no seu e-mail

Ocorreu um erro neste gadget

Qual assunto você gostaria de ler ?

Nome:
E-mail:
Assunto:
Mensagem: