14 fevereiro 2013

Reversão de laqueadura e vasectomia não é feita pelo SUS


As duas cirurgias podem trazer riscos, mas a laqueadura exige um cuidado maior, porque é mais invasiva e pode atingir uma das artérias que irrigam os ovários, o que é capaz de levar a disfunções hormonais irreparáveis.

A reversão dessas operações é bem complicada e, depois de algum tempo, no caso da vasectomia, há risco de o homem não produzir mais espermatozoides (quanto mais tempo se passa acontece a azoospermia). A idade da mulher também pode ser um complicador, pois há uma diminuição gradual do número de óvulos produzidos, e aí a reversão não valerá a pena. O SUS não faz a reversão. Nesse caso, é possível fazer uma inseminação artificial.
Regras para fazer laqueadura e vasectomia pelo SUS:
O SUS oferece ambos os métodos para pessoas com mais de 18 anos e pelo menos dois filhos nascidos vivos ou com mais de 25 anos sem filhos, desde que seja respeitado o prazo de 60 dias entre a manifestação da vontade e o ato cirúrgico.
A rede pública também permite a laqueadura ou a vasectomia nos casos em que uma gestação possa trazer risco de morte para a mulher ou para um futuro bebê. Entre as doenças sérias durante a gestação estão: pressão muito alta, problemas nos rins e diabetes grave.
É proibido fazer laqueadura no parto ou durante um aborto, porque são momentos inadequados para a decisão e porque pode existir riscos para a mãe e para o bebê.
Sangramento contínuo após a cirurgia, dor, febre e ausência de menstruação são sinais de alerta para algum problema na cirurgia.
Uma opção para quem não pode fazer a laqueadura ou ainda não está bem certo da decisão é o dispositivo intrauterino (DIU). Outros métodos contraceptivos não definitivos – como camisinha, diafragma, anel vaginal e pílula – também podem ser uma alternativa. Mas é preciso lembrar que apenas a camisinha protege contra doenças sexualmente transmissíveis (DST).


FABÍOLA PECE comenta: Eu particularmente acho válido serem feitas várias imposições antes de liberar esses métodos drásticos, pois depois as pessoas esquecem que sua vida pode mudar e optarem por querer mais filhos. Aí, uma vez feito anteriormente estes métodos se torna além de desgastante,muito mais caro, pois o casal terá que recorrer a Reprodução Assistida.

Nenhum comentário:

Pesquise o assunto

Postagens Anteriores

Receba as postagens no seu e-mail

Ocorreu um erro neste gadget

Qual assunto você gostaria de ler ?

Nome:
E-mail:
Assunto:
Mensagem: